________________________________


Comecei a escrever no momento em que percebi que só pensar não mais me satisfazia.

Precisava transbordar todo aquele pensamento que só ao meu universo de idéias pertencia.

Hoje, escrevo por pura necessidade, por irresistível vício e por agradável teimosia.




Claudia Pinelli Rêgo Fernandes ®



sexta-feira, março 11, 2005

Arcanjo Miguel - O texto

O que se pode dizer do amor?? Que ele é louco mesmo...

É especialista em colocar armadilhas... Às vezes difíceis de se desvencilhar...

Fico me perguntando se certas situações com as quais nos confrontamos, servem somente para nos testar, colocar à prova nossos valores, ou são realmente obra de algo estranho, sobrenatural e superior a nós que pretende trazer um sopro de vida à vida, transformando-a completamente?? Isso é possível?? Ou faz parte da ilusão de um romântico incurável?

Só o amor consegue desestabilizar, isso é fato... E como desequilibra.. Faz parecer que você está com os pés fora do chão...

Mas será que por amor, vale tudo? É permitido machucar o outro?? Vale ser egoísta e só pensar em si, sem levar em consideração os que estão ao seu lado e que te amam?? Tudo para viver um louco amor?

A loucura surge e perscruta sua mente para tentar achar a fraqueza, que sabe estar ali, escondida em algum lugar, esperando para ser seduzida. O impasse é simbólico, está no campo das idéias?? A loucura seduz a fraqueza ou a fraqueza se fortalece num momento de lucidez?? Ou é real?? O sentimento vence a segurança ou a segurança predomina sobre o risco do inusitado??

O pesadelo se instaura... E nesse contexto te deixa ainda mais confuso.

Mas essas coisas não são premeditadas... Apenas acontecem.. Acontecem e só.

O medo tenta arruinar com a esperança... A esperança de viver uma história que poderá ser linda, forte, profunda, visceral, inesquecível... E provavelmente o medo vai ganhar essa parada. Infelizmente.

E para terminar, fica a tristeza de não ter arriscado.. De não ter vivido algo tão bonito..

Triste sim.. Triste é não poder ficar com você.

Peço ajuda a você nessa hora.. Ajuda e paciência.

Meu anjo!

Bjo.

Música: Ice do Camel.

2 comentários:

Anônimo disse...

Dos seus textos Rainha do Nilo, confesso que este está sendo o mais difícil para eu comentar.
Difícil por três fatores: Primeiro pelo endereçamento. Conheço dois anjos envolvidos: “O Anjo” e o Arcanjo Miguel. A quem dos dois pede ajuda e paciência? Segundo, será que há um terceiro anjo? Por último, pelo seu conteúdo fortíssimo de duelo entre coração e razão e dado o envolvimento, poderia facilmente pender ao coração. Mas, qual o mais correto? Qual o menos equivocado?

Este seu texto denuncia uma capacidade de amar fora do comum, mas também uma lucidez impar sobre os seus contratos. Invejável e elogiável.
Códigos? Claro que sim. Há uma codificação no texto e também neste comentário que só a alguns é dado lê-la.

Mas o amor é assim, imprevisível, intempestivo, arrebatador, propulsor da vida, divino.

O vale tudo, é o mesmo do vale nada, pesos iguais, mas com sinais trocados, são extremos. Será que os extremos são benéficos? E a Senda do meio?

A loucura sã é fantástica. Na verdade é o ego se mostrando e querendo ser ouvido, contudo não se torna Senhor das ações, submete-se à consciência.

O impasse somos nós que criamos. É, sem sombra de dúvidas, simbólico, mas simultaneamente real. Ficamos divididos entre uma situação que queremos experienciar, pois nos dará grande prazer e o pudor moral de não ferir a quem nos ama, mas que, sobretudo também amamos.
Sim, não é o fato de não ferirmos a quem nos ama o que mais nos atormenta, mas o fato de que, TAMBEM AMAMOS AQUELES A QUEM NÃO QUEREMOS MACHUCAR.

Você registrou perfeitamente o tormento da lógica dividindo o ser que ama. Ama-se alguém logo não se deve amar outrem. Há um duelo mudo entre conceitos de fidelidade, entre os valores cultivados desde a infância, que nos acompanham até os confins do universo enquanto presos ao véu de Maia, e os valores adquiridos na trajetória da vida, que, muitas vezes são simétricos aos anteriores, mas dado ao fato de que tais aquisições se deram apenas no nosso ser, passamos a configurar como diferentes em relação aos demais, ainda que vivendo sob o mesmo teto.

A chamada ao Arcanjo Miguel é uma chamada forte porque forte é esta entidade. Este ser é de característica predominantemente de primeiro raio, o raio azul, o raio do poder divino, da determinação, da perseverança, do guerreiro.

Ao ter escrito sob o som de Ice, por si só me leva à presunção de uma elevada carga emocional impressa em seu texto.

A segurança venceu o sentimento e o medo ganhou a batalha, você diz. Revela a sua tristeza com a expressão infelizmente. É, nós criamos as nossas Hidras e teremos que conviver com elas ou arrebentar com todas as amarras e destruir o monstro. Não é fácil, necessita muita coragem, determinação e intensidade de amor. Mas também não há erro em não matarmos a Hidra, podemos aprender a viver harmonicamente com ela, pois ela é criação nossa, logo tem controle.

“Triste é não poder ficar com você”. Esta frase diz muito e significa muito a quem souber ler o código.

Até onde eu possa saber, a quem pediu e com quem não pôde ficar, lhe concederão a ajuda e a paciência que você merece.

Querida Senhora das Pirâmides, o seu texto é simplesmente… Emocionante!!!!!!!!!!

O seu anônimo preferido.

Guh disse...

É, cara Anna,

Acho que estou nessa corda bamba entre o medo pela razão e a esperança pelo coração. Não vou mentir que tenho muito mais medo, mas sempre antes de dormir a esperança me toma quase por completo. Digo quase, pois imagino um 'não' como resposta, e todas minhas projeções ficam sem sustentação.
Será que vale mesmo a pena tentar?
Fico me perguntando isso todas as vezes que penso nesse caso. Acho que deve ser muito dolorido se expor dessa maneira caso não dê certo..
Estou quase recorrendo à moeda. Cara, eu tento, coroa, eu corro. Como já dizia meu caro "bial", '..nossas escolhas tem 50% de dar certo, ou errado..'
E que recomece o jogo..

Som: Camel-Ice e Modjo-LAady

Related Posts with Thumbnails

Minha família

My kind of Spirit...


You are the elusive Night Spirit.
Your season is Winter, when the stars are bright and frost crystallizes the fallen leaves.
You are introspective, deep-thinking, and mysterious.
Everyone is intrigued and a little intimidated by you because you have an aura of otherworldliness.
You work in extremes, sometime happy, other times sad, but always creative and philosophical.
You are more concerned with the unseen, mystical, and metaphysical than the real world.
Night Spirits have a tendency to get lost in themselves and must be careful not to forget reality, but their imagination is limitless.