________________________________


Comecei a escrever no momento em que percebi que só pensar não mais me satisfazia.

Precisava transbordar todo aquele pensamento que só ao meu universo de idéias pertencia.

Hoje, escrevo por pura necessidade, por irresistível vício e por agradável teimosia.




Claudia Pinelli Rêgo Fernandes ®



quinta-feira, março 01, 2007

Não discuto...




Depois de viver, no ano passado, alguns momentos bem graves (mas, ao fim, gratificantes) de depressão, sinto como se caísse a ficha para muitas coisas, isto é, percebo intensamente as mudanças que ocorreram dentro de mim. Por exemplo, algo que havia lido há tanto tempo, considerado genial, mas que não tinha pesado, no meu íntimo, a sua força, acena de forma clara e intensa aos meus sentidos agora.
Enfim, não tinha experienciado a sua mensagem.
O texto citado é NÃO DISCUTO, do grande poeta Paulo Leminski, e apesar de pequenino no tamanho, é enorme em significado:

NÃO DISCUTO

não discuto
com o destino
o que pintar

eu assino

Eu também não discuto mais com esse cidadão(o destino). Porque ficou claro que não adianta muito. Só estressa e cansa.
O que ele me apresentar, eu aceito. O que ele me oferecer, eu agradeço.
Discutir, nunca..
No máximo, uma argumentação para tentar dissuadi-lo de algo mais injusto..
Ou uma cara de paisagem fingindo que não estou vendo o que ele está aprontando..
O destino não é mais meu inimigo. Adotei-o como companheiro..
E meu barco hoje corre para onde o vento levar..
E uma regra é básica: Passei a me mimar, se é que isso pode acontecer. Agora não me nego a fazer nenhuma de minhas vontades possíveis. Livrei-me de muitas amarras. Assuntos antes tabus, me soam agora tão naturais. E me sinto muito mais livre por isso...
Que bom que me libertei desse peso..
Antes tarde do que nunca...




Bjo.




Música: The touch of your loving hand do Stone the Crows.

5 comentários:

Fugu disse...

Adoro este poema! Mas não queria ser o portador a quem se dirige este cheque (mate?)
beijo você

Lady Butterfly disse...

OI Claudia, estou vivendo momentos como este seu... aqui em casa, meu marido é assim, e resolvi agora fazer mesmo cara de paisagem pra muitas das neuras dele... me enchi, comecei a me valorizar e a me gostar... acho que é esse o caminho... dei um cheque mate mesmo. Ele muda de humor da noite pro dia, pára de falr comigo do nada e na hora do bem bão quer... me comer...? Vai pra M. desculpe hahahahaha, mas isso é outro DP (departamento), beijos e por hora to lá no meu blog... fica bem e SE AME...

Claudia disse...

Os momentos difíceis aos quais eu me referia foram especificamente relacionados a uma depressão gravíssima que eu sofri ano passado..
E o "cidadão", o DESTINO..
P não confundir, vou deixar claro lá no texto..
Bjoss..

Viviana disse...

Cláudia,

este texto é sem dúvida repleto de significados e Leminsk....sempre soube de muitas verdades!

Ah, lembra quando vc falou sobre a foto? Que queria colocar uma maior? Então deixei um recadinho no meu blog mas vc não deve ter visto! Vou te mandar um e-mail, ok?

Beijos.

pequenos delitos disse...

Claudinha, você nem imagina com que alegria li este post. Deu para ouvir suas asas batendo e você alçando vôo.
Estou feliz por você.

Related Posts with Thumbnails

Minha família

My kind of Spirit...


You are the elusive Night Spirit.
Your season is Winter, when the stars are bright and frost crystallizes the fallen leaves.
You are introspective, deep-thinking, and mysterious.
Everyone is intrigued and a little intimidated by you because you have an aura of otherworldliness.
You work in extremes, sometime happy, other times sad, but always creative and philosophical.
You are more concerned with the unseen, mystical, and metaphysical than the real world.
Night Spirits have a tendency to get lost in themselves and must be careful not to forget reality, but their imagination is limitless.